Como saber quando a busca por “ser saudável” se torna perigoso.

Como saber quando a busca por “ser saudável” se torna perigoso.

Como saber quando a busca por “ser saudável” se torna perigoso.

A atividade física regular é uma parte fundamental de um estilo de vida saudável. Mas quando um atleta jovem, e hoje em dia vemos este comportamento crescente em jovens que buscam um lifesyle fitness ou por um corpo cultuado pela mídia como “belo”,  leva a aptidão e o treinamento ao extremo, esse comportamento pode se tornar perigoso para sua saúde. Em alguns casos, pode colocar os indivíduos em risco de ferimentos graves ou danos permanentes. Pais, colegas e instrutores devem aprender a reconhecer certos sinais de alerta. Isso porque eles podem indicar uma atitude desequilibrada ou obsessiva em relação a esportes e condicionamento físico. Também é imperativo que figuras influentes na vida dos atletas saibam como incentivar um estilo de vida verdadeiramente saudável

Quais sinais devo ficar atento?

  1. Irritabilidade e mau humor geral.
  1. Nenhuma alegria ou prazer em participar de esportes ou exercícios.
  1. Tendências obsessivas, rituais ou rigidez relativos a comida, exercício ou treinamento.
  1. Mudanças comportamentais em torno de companheiros de equipe e treinadores.
  1. Conflito com colegas de equipe e treinadores ou expressões de preocupação dos colegas de equipe.
  1. Mudanças nos hábitos alimentares ou isolamento durante as refeições.
  1. Não pular/ faltar em nenhuma sessão de treinamento ou condicionamento físico, inclusive quando está cansado, doente ou ferido.
  1. Lesões crônicas ou de repetição.
  1. Escolher treinar / fazer exercícios em vez de passar tempo com amigos ou familiares.
  1. Incapacidade de se concentrar, levando a uma diminuição no desempenho físico ou mental.
  1. Mudança extrema ou rápida no peso corporal ou na forma corporal; comportamento obsessivo sobre perder ou ganhar peso.
  1. Perda do ciclo menstrual devido à baixa gordura corporal, alto estresse e alto gasto energético causado pelo exercício.

A presença de apenas um ou dois destes sinais de aviso pode não indicar a presença de um problema de saúde crônico. Mas essas preocupações merecem uma atenção séria. Ao intervir e abordar os problemas desde o início, adultos e amigos de confiança poderiam salvar a vida de um ente querido. Indivíduos que sofrem de transtornos alimentares têm uma taxa de mortalidade de 10-15% e uma taxa de suicídio de 25%. Então, agir imediatamente é necessário.

Positividade Corporal

Família, amigos e treinadores também podem tomar medidas para enfatizar a positividade corporal e uma abordagem mais equilibrada do exercício e da aparência física. Ao promover uma autoimagem positiva e auto-estima em jovens atletas, minimizando a importância do peso, e enfatizando a ideia de que o peso não diz respeito diretamente à saúde ou atratividade, os atletas podem aprender a adotar uma atitude mais saudável em relação à atividade física e melhorar sua auto-estima.

Além disso, as próprias atitudes relacionadas ao peso, imagem corporal e dieta podem valer a pena ser exploradas. Infelizmente, essas atitudes começam cedo e podem facilmente  influencia outras pessoas sem que percebamos.

Envolvendo Profissionais Qualificados

Por fim, é importante fornecer informações valiosas sobre nutrição, atividade física e desempenho atlético a esses entusiastas do fitness.. Enfatize os riscos à saúde associados à falta do consumo de energia (especialmente para mulheres com baixo peso). E ofereça recursos sobre esses tópicos com frequência. Os treinadores que sentem que um atleta pode estar lutando com um transtorno alimentar devem consultar um profissional. É vital reconhecer os sinais e agir se e quando eles aparecerem. Garantir aos jovens atletas que o peso que a balança aponta ou como eles atuam em um jogo não mede seu valor é de vital importância.

Fonte: adaptado de https://conscienhealth.org/2018/07/how-to-know-when-healthy-becomes-dangerous/

  • National Association of Anorexia Nervosa and Associated Disorders.
  • Goldfarb, A.H. & Jamurtas, A.Z. b-Endorphin Response to Exercise: An Update. Sports Medicine 24(1):8-16 (1997).
  • Anorexia Nervosa and Related Eating Disorders, Inc. (ANRED), 2005. Eating Disorders - Patient Information.